• Telefone: +55 (18) 3117-1195
  • E-mail: zanardo@zanardo.com.br
  • Horário: Seg - Sex: 7:30h - 11:30h | 13:00h - 17:48h
Data: 26/07/2019
Imagem retirada de https://comunidade.rockcontent.com/conseguir-emprego-marketing/ Imagem retirada de https://comunidade.rockcontent.com/conseguir-emprego-marketing/

O Brasil registrou criação líquida de 48.436 vagas formais de emprego em junho, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta quinta-feira pelo Ministério da Economia, no melhor dado para o mês desde 2013, embalado pelo setor de serviços.

O resultado também veio acima das estimativas de analistas consultados em pesquisa da Reuters, que projetavam abertura de 34 mil postos. No acumulado do primeiro semestre, foram criadas 408.500 vagas, na série com ajustes, apontou ainda o Caged, desempenho mais forte para o período desde 2014 ( 588.671 postos). Dos oito setores pesquisados pelo Caged, seis ficaram no azul em junho, com destaque para serviços ( 23.020 vagas), agropecuária ( 22.702) e construção civil ( 13.136).

Indústria de transformação e comércio responderam pelo fechamento de empregos no mês, com 10.988 e 3.007 vagas encerradas, respectivamente.

Nos três meses até maio -- último dado disponível divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística --, a taxa de desemprego brasileira foi a 12,3%, de 12,5% no trimestre até abril e 12,7% no mesmo período do ano passado.

Com isso, o número de desempregados no Brasil ficou abaixo de 13 milhões pela primeira vez desde o início do ano. Apesar da melhoria, o mercado de trabalho mostra que ainda sofre com a deterioração econômica ao registrar números recordes de desalentados e subutilizados.

fonte: Udop, com informações da Reuters (escrita por Marcela Ayres)

  • Telefone:
    +55 (18) 3117-1195

  • Rua dos Buritis, 201 - Parque Industrial II Araçatuba / São Paulo